Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Amuleto no saque, novata Priscila está de olho em 'brecha'

Ponteira tenta seguir os passos da central Thaísa, que fazia parte de uma 'seleção de novas' antes de ser convocada para os Jogos Olímpicos de Pequim

Antonio Kurazumi - especial para o iG, em São Bernardo |

Divulgação/CBV
Priscila Daroit estreou na seleção brasileira adulta na vitória sobre a Itália

Com 23 anos, Priscila Daroit é a segunda jogadora brasileira mais nova inscrita na segunda etapa do Grand Prix, em São Bernardo, e tem como meta estar nos Jogos de 2016. Nesta sexta-feira, no entanto, ela teve uma noite inesquecível ao ficar por mais tempo em quadra ao lado das principais estrelas da seleção e deixou seu recado: está de olho nas Olimpíadas de Londres

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores 

“Fiquei feliz por ajudar o time, por corresponder o que o Zé estava esperando de mim”, comemorou a ponteira, que foi essencial para o Brasil virar um set (o primeiro) quase perdido, com vantagem de 24 a 20 para as italianas. Com ela no saque, a seleção conseguiu uma sequência de seis pontos e fechou a parcial. Foi tão bem que voltou à quadra em mais três sets, só não participando do quarto.

Leia mais: De forma emocionante, Brasil vence Itália e faz jogo dos invictos com os EUA 

“Não esperava jogar tanto, fiquei muito feliz com a experiência. As minhas companheiras me deram força, apoio e me senti segura naqueles momentos de pressão”, recordou a ex-integrante do Mackenzie (MG), que também irá ser dirigida por Zé Roberto na recém-formada equipe do Vôlei Amil, de Campinas.

Veja ainda: Jogadoras convivem com lesões e “dilema” na preparação olímpica

Depois de uma atuação de relativo destaque, Priscila já sonha com Londres. Uma das inspirações da novata – apenas mais velha que Camila Brait entre as relacionadas para a etapa brasileira – é Thaísa. Em 2006, a central foi chamada para uma “seleção de novas”, agradou o treinador do Brasil e fez parte do grupo em Pequim (2008). A trajetória da novata é parecida. Também convocada para um time de jovens no ano passado, Priscila correspondeu e acabou lembrada para compor o elenco no Grand Prix. Agora só falta mais um passo, também o mais difícil.

Confira ainda: Paula Pequeno vence medo para defender 'dois títulos' em Londres

“Meu objetivo é estar em 2016 (Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro), mas se alguém der brecha vou beliscar uma vaga em Londres”, avisou a ponteira. “Acredito que dei um grande passo para 2016 hoje (sábado)”, aposta a jovem, que explica o segredo para encaixar um bom saque em momentos de decisão, como aconteceu neste sábado.

Vipcomm
Priscila comemora com as companheiras da seleção vitória sobre a Itália no primeiro set


“É pensar positivo. Se ficar pensando que vai errar, é aí que erra mesmo”, revelou Priscila, correndo por fora na tão disputada briga na seleção feminina de vôlei pelas 12 vagas nas Olimpíadas.

Palavra do chefe

Em entrevista após a emocionante vitória sobre a Itália, Zé Roberto falou que Priscila está sim na luta por um lugar em Londres. “Pela experiência, foi uma partida muito boa para ela. Está na disputa, assim como todas as outras que não jogaram”, afirmou o treinador, sem querer se estender no assunto.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG