Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Londres teme que Argentina use Jogos Olímpicos para protestar pelas Malvinas

Relações entre os países andam estremecidas após britânicos levarem exercícios de guerra para ilhas na costa argentina

EFE |

EFE

O Reino Unido teme que a Argentina possa utilizar os Jogos Olímpicos de Londres como plataforma para manifestar sua reivindicação pelas Ilhas Malvinas, revelou neste domingo o jornal "The Sunday Times". Segundo a publicação, o Ministério de Relações Exteriores britânico recebeu informação que aponta que o país sulamericano tentará aproveitar o evento esportivo para chamar a atenção de todo o mundo sobre sua reclamação quanto à soberania das ilhas no Atlântico Sul.

AP
Manifestante picha muro durante protesto contra o governo britânico em frente à Embaixada do Reino Unido em Buenos Aires (24/01)


Deixe sua mensagem e comente a notícia com outros torcedores

Em 2012, a guerra entre Argentina e Reino Unido pela posse das Malvinas - que terminou com a vitória dos britânicos - completa 30 anos. Aparentemente, o Governo britânico está preocupado com a possibilidade de haver uma manifestação de atletas argentinos similar à que fizeram desportistas afro-americanos nos Jogos de 1968, na Cidade do México, em cerimônias de entrega de medalhas. Na ocasião, Tommie Smith, medalhista de ouro nos 200 metros rasos, e John Carlos, de bronze, levantaram o punho e, sem calçados, exibiram meias pretas para representar a pobreza.

Segundo "The Sunday Times", Londres teme que qualquer gesto por parte dos atletas argentinos seja divulgado pela imprensa do mundo todo, o que aprofundará ainda mais as já tensas relações entre os dois países por causa do conflito das Malvinas.

"Estamos preocupados que a Argentina aproveite os Jogos Olímpicos para protestar pelas Falklands (como os britânicos chamam as Malvinas) e estamos vendo o que podemos fazer. Eles parecem determinados a apresentar seu caso diante de qualquer oportunidade", disse ao jornal uma fonte do Foreign Office, o Ministério do Interior britânico.

Na semana passada, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, foi abordado pela presidente da Argentina, Cristina Kirchner, na cúpula do G20 em Los Cabos (México). Na ocasião, Cristina tentou entregar a Cameron documentos relacionados com a reivindicação das Ilhas Malvinas, mas o premiê se negou a aceitá-los.

De acordo com "The Sunday Times", o Comitê Olímpico Internacional (COI) informou ao Comitê Organizador Local dos Jogos de Londres (Locog) que há regras muito estritas sobre os uniformes dos atletas e garantiu que os atletas argentinos não exibirão símbolos políticos. No entanto, o Governo está preocupado que alguns deles possam fazer algum tipo de protesto.

Além disso, segundo o jornal britânico, há temor que um grupo argentino de esquerda denominado Hinchadas Unidas Argentinas planeje uma viagem para Londres para protestar. Recentemente, o Governo do Reino Unido expressou insatisfação pela divulgação na Argentina de um vídeo gravado em segredo no qual se via um atleta argentino em atividade nas Malvinas.

No fim, havia a mensagem: "para competir em solo inglês, treinamos em solo argentino". Diante das tensões entre os dois países, o Governo das Ilhas Malvinas anunciou recentemente que realizará um plebiscito para decidir seu futuro político, mas se nega a dialogar com Buenos Aires que envolva a soberania.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG