Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Incansável, Elisângela Adriano quer encerrar a carreira em Londres

Perto de completar 40 anos, atleta busca índice no lançamento do disco durante o Troféu Brasil de Atletismo, que começa nesta quarta-feira

Ana Carolina Cordovano - especial para o iG |

Foi em 1990 que Elisângela Adriano começou a se destacar nas provas do arremesso do peso e do lançamento do disco. Durante 20 anos, ela não teve adversárias no Brasil. Conquistou 17 vezes a prova do disco no Troféu Brasil e 14 a do peso. E será nessa competição que conhece tão bem que Elisângela tentará mais um feito, o último da carreira como atleta. Garantir uma vaga nas Olimpíadas de Londres para então, aos 40 anos, se despedir das competições.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Divulgação
Elisângela Adriano disputará o seu quarto Jogos Olímpicos

“Meu coração ainda está no atletismo, mas o corpo reclama, tenho dores... Então, gostaria de disputar mais uma Olimpíada e então parar”, contou Elisângela, que vai tentar a vaga no lançamento do disco. O índice exigido é 62 m. Sua melhor marca nesta temporada é 54,76 m, mas no ano passado, Elisângela fez 62 m e, por isso, mantém o otimismo para a competição que começa nesta quarta-feira, na pista do Ibirapuera. “Acho que posso conseguir”.

Embora saiba que vai sofrer quando parar de competir, Elisângela se preparou para a aposentadoria. Na verdade, já se divide entre os treinos e o emprego na Prefeitura de São Caetano. Formada em Educação Física e Fisioterapia, a paulistana tem uma rotina puxada. “Treino das 8 ao meio-dia e trabalho na prefeitura da 1 da tarde até 9h30 da noite. “Às vezes atendo pacientes como fisioterapeuta aos finais de semana”, contou.

Leia também: Maurren Maggi troca disputa do Troféu Brasil por treinos

Se garantir a vaga em Londres, Elisângela disputará sua quarta Olimpíadas. Ela estreou em Atlanta 1996, e também foi a Atenas 2004 e Pequim 2008. A frustração é nunca ter alcançado uma final olímpica. O melhor resultado foi o 17º lugar no peso, em Atenas. Em Mundiais, Elisângela foi nona colocada na edição de 2003, em Paris. As medalhas vieram em Pan-Americanos. Ouro no disco em Winnipeg 1999, prata no peso em Santo Domingo 2003 e bronze no disco no Rio 2007.

Elisângela ainda é recordista sul-americana do peso, com 19,30 m, feito na Colômbia em 2001. No disco foi ultrapassada pela jovem Andressa Oliveira, no início do mês. A atleta de 21 anos fez a marca de 64,21 m, o que lhe garantiu nas Olimpíadas. Além de Andressa, Geisa Arcanjo, no peso, vem se destacando nas provas em que Elisângela reinava absoluta. “Eu abri portas e elas ainda vão conquistar muitas coisas. Pena que não surgiram na minha época”, diz a atleta, que sempre reclamou de não ter muitas adversárias no Brasil.

E ainda: Laís Souza reclama de falta de respeito por ficar fora dos Jogos

A tentativa de obter o índice olímpico começa na quinta-feira, com a qualificatória do lançamento do disco, às 10h30. A final será na sexta à tarde. A prova pode marcar a despedida de Elisângela ou a conquista do sonho de encerrar a carreira numa Olimpíadas. “Não imaginava que chegaria tão longe. Tenho outros planos, como ter filhos, mas espero ir para Londres primeiro”, disse a atleta, que completa 40 anos no dia 27 de julho, dia da cerimônia de abertura dos Jogos.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG