Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Garantida em Londres, musa paraguaia rechaça comparação com Riquelme

LerynFranco não faz boa marca no Troféu Brasil, mas comemora vaga conquistada naúltima hora e diz que deseja fazer história nas Olimpíadas 2012

Antonio Kurazumi - especial para o iG | - Atualizada às

Getty Images
Leryn Franco não teve bom desempenho no Troféu Brasil, mas estará nos Jogos de Londres

Uma das mulheres mais conhecidas do Paraguai, justamente por causa da beleza, Leryn Franco também é competente no que faz. Há cerca de um mês, na Venezuela, ela assegurou a terceira participação em Jogos Olímpicos no lançamento do dardo, ao obter a melhor marca da carreira e já adiantou que deseja fazer história em Londres. De quebra, a atleta descarta comparação com Larissa Riquelme, a compatriota que ficou famosa por exibir o corpo em jogos de futebol.

Deixe seu recado e comente a noticia com outros torcedores 

“Não compactuo com o que ela faz, mas respeito. É a forma de trabalho dela e, se conseguiu se dar bem assim, respeito”, comentou Leryn, que deu um tempo nos trabalhos de modelo para priorizar a preparação para as Olimpíadas. “Estou me dedicando aos treinos e ao programa esportivo (Terceiro Tempo), no qual sou apresentadora”, contou a musa, se referindo a sua participação no canal Telefuturo, onde também fala sobre atualidade e moda.

Leia mais: Keila Costa sente cãibra e desiste de vaga no salto em distância 

Patrocinada pela Nike, Leryn afirma que não recebe ajuda financeira da empresa apenas por ser bonita e ser abordada por todos lugares onde passa. “Quando uma empresa me contrata, ela não mira só a beleza. Depende se me cuido muito e não tiro a roupa por aí, eles gostam disso. Sou linda, mas tenho minha vida desportiva. E não adianta ser linda por fora, é preciso ser linda por dentro e inteligente”, ressalta a atleta, de 30 anos.

Veja ainda: Diomar Noêmio supera susto para conseguir vaga na final dos 800 m rasos 

De fato, em um rápido bate-papo com Leryn é possível detectar o quanto é comprometida com a profissão. Um exemplo é o sentimento que teve após os Jogos de Pequim 2008, quando fez um resultado aquém do que esperava. “Fiquei deprimida. Já tentei parar de competir várias vezes, mas não posso, é um vício”, descreve a paraguaia, que não engoliu a terceira colocação no Troféu Brasil neste sábado, com a marca de 52,77 m.

Além de Leryn Franco, outras musas estarão em Londres. Confira:


“Não fui bem. Errei a técnica, saltei em um ângulo que não gostaria. Só irei consertar isso com muitos treinos e lançamentos”, analisou Leryn, que já ganhou por três vezes a competição. Por conta do regulamento da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), porém, os estrangeiros não podem participar da briga por medalhas.

Para ir às Olimpíadas pela terceira vez seguida, a paraguaia precisou marcar 57,77 m em Barquisimeto, na Venezuela, em junho, durante o Campeonato Ibero_Americano. Foi tão bem que fez o melhor lançamento da carreira. “Foi incrível. Consegui isso no último lançamento, na última chance. Sei que não posso lutar por medalhas nas Olimpíadas, mas ir para uma final seria histórico para meu país”, sonha ela, que não sabe se continuará na ativa depois do ciclo olímpico, por pensar em ter uma família.

Confira ainda: Após sofrimento, Lucimara diz que irá brincar em nova chance 

Leryn não gosta de falar que é a principal esportista do seu país. Cita também a corredora dos 1.500 metros, María Caballero, que iniciou a carreira há pouco tempo e a tenista Rosanna de Los Rios, vez ou outra presente no ranking das 50 melhores tenistas do mundo. Em termos de reconhecimento nas ruas e eventos, no entanto, apenas o goleiro José Luis Chilavert está mais nos holofotes.

“Sinto muito carinho pelas pessoas. Quando vou ao supermercado, todos perguntam sobre minhas marcas, alguns até sabem o que faço nas competições e recebo muitas mensagens”, comemora a musa Leryn.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG