Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lapidado no Maracanã, Aldemir Gomes surpreende e vai a Londres

Velocista de 20 anos se classifica para disputar os 200 m rasos nas Olimpíadas

Ana Carolina Cordovano , especial para o iG |

Em seu primeiro ano como atleta de ponta, o carioca Aldemir Gomes, de 20 anos, garantiu vaga nas Olimpíadas de Londres. Até a manhã deste domingo, na pista do complexo do Ibirapuera, a principal competição que Aldemir havia disputado na carreira era o Campeonato Ibero-Americano, no início de junho, quando foi medalha de prata nos 200 m. Neste domingo, foi segundo colocado na prova no Troféu Brasil, com o tempo de 20s38, e confirmou a vaga nos Jogos.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros resultados

Divulgação/CBAt
Velocista de 20 anos surpreendeu ao conquistar a vaga em Londres neste domingo

Aldemir deixou para trás na final do Troféu Brasil atletas experientes como Sandro Viana, terceiro, com 20s56, e Nilson André, quarto, com 20s67. O Brasil levará três velocistas para os 200 m. Aldemir, Bruno Lins, que já estava classificado e venceu a prova com 20s37, e Diego Cavalcanti, que não competiu em São Paulo por estar se recuperando de uma contusão, mas que se garantiu com o tempo de 20s40, feito em maio.

"Foi um susto (garantir a vaga), mas um susto bom", disse Aldemir, que defende o Vasco e é treinado por Vânia Valentino, na pista do estádio Célio de Barros, no complexo do Maracanã, no Rio.

Leia também: Luís Alberto quebra recorde de 25 anos e garante vaga no decatlo

Vânia fala com orgulho de Aldemir, que conhece desde garoto. Com 12 anos, Aldemir foi à pista com um primo que treinava provas de barreira. "Ele passou pelo salto em distância, por provas de barreiras e foi para a velocidade. Estava ficando muito alto e começou a ter dificuldade para saltar", contou Vânia.

A treinadora sabe que tem uma joia nas mãos. "Ele tem um talento nato para o esporte, nasceu para ser atleta. É disciplinado, tem um caráter formidável. Tem totais condições de lutar por algo grande", elogiou.

Cercado por jornalistas depois de confirmar a vaga, Aldemir manteve uma postura serena, parecendo até não ter a dimensão do que havia conquistado. Perguntando sobre correr ao lado do jamaicano Usain Bolt, disse que manterá a concentração. "Ele é diferenciado, mas é humano, não é invencível", disse o garoto da Ilha do Governador, que perdeu os pais ainda criança e foi criado por uma avó.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG