Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Velódromo de R$ 14 milhões do Rio de Janeiro terá que ser demolido

Equipamento construído para Pan-Americano de 2007 não atende aos padrões exigidos nos Jogos Olímpicos e será colocado abaixo. CT de ginástica artística funciona no mesmo local

iG São Paulo | - Atualizada às

Um dos famosos "legados do Pan 2007", que deveria servir para os Jogos Olímpicos do Rio 2016, será colocado abaixo. O velódromo municipal do Rio de Janeiro, que serve de treinamento para ciclistas, patinadores e que também abriga o centro de treinamento da ginástica artística, precisará ser demolido. O equipamento esportivo, construído para o Pan do Rio, há cinco anos, e que custou R$ 14 milhões, não atende aos padrões exigidos para as Olimpíadas.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Globo
Ciclista treina no velódromo do Rio, construído para o Pan 2007 e que por não atender aos padrões olímpicos exigidos para as Olimpíadas de 2016, será demolido

Reportagem do jornal "RJ TV', da Rede Globo, mostrou que a decisão de demolir o velódromo foi da Empresa Olímpica Municipal, responsável pelas obras para os Jogos de 2016, em conjunto com o comitê organizador do Rio 2016. A obra custou R$ 14 milhões, sendo R$ 13 milhões pagos pelo Ministério do Esporte e R$ 1 milhão pela prefeitura do Rio. O problema principal para a utilização do velódromo nos Jogos de 2016 é que o local possuí duas pilastras centrais, que seguram a estrutura, e estas impediriam a homologação de recordes, pois os juízes não conseguem ter uma visão total da pista.

Veja também: Brasil investirá R$ 50 milhões para promover Rio 2016 em Londres

Outro questão é a capacidade de público do velódromo, que atualmente é de 1.500 lugares e para as Olimpíadas precisaria ter no mínimo 5.000. Há problemas ainda em relação ao número de boxes e vestiários disponíveis aos atletas. Mais grave ainda é a questão de segurança para os ciclistas. A inclinação e curvatura da pista não é adequada à disputa olímpica.

Leia também: Ciclista britânica posa para fotos sensuais em revista

Leonardo Gryner, diretor do Comitê Organizador do Rio 2016, disse que quando a pista foi construída para o Pan 2007, a opção foi por fazer uma pista permanente, em decisão conjunta entre Governo Federal, prefeitura do Rio e a UCI (União Ciclística Internacional), para ficar como legado aos atletas, mas que não houve tempo de construí-la de acordo com as especificações olímpicas.

E mais: Rio 2016 poderá usar arena de basquete desmontável dos Jogos de Londres

"Os atletas do Pan tem um padrão esportivo um pouco mais baixo, andam numa velocidade mais baixa e aí o velódromo comportava sem problema. Para um nível olímpico, em que as velocidades são muito altas, ele não apresenta os requisitos de segurança necessários para os atletas", disse Gryner, à Rede Globo.

Acompanhe o blog Espírito Olímpico

O comitê organizador dos Jogos disse que a estrutura da pista do velódromo, feita em pinho siberiano tratado na Holada, será transferida para outro estado. O terreno onde funciona o velódromo deve ser vendido à iniciativa privada, que vai financiar a construção do Parque Olímpico. Não se sabe qual será o destino do CT de ginástica artística, inaugurado com toda a pompa no começo de abril.

Leia tudo sobre: Ciclismo pistaBrasilRio 2007Rio 2016

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG