Após triunfo, boxeador brasileiro celebra ter vencido pressão e drama familiar

Julião Neto mal conheceu o pai, perdeu o avô quando era muito novo e se apegou à mãe para construir trajetória que o levou às Olimpíadas

Marcelo Laguna e Rodrigo Farah - enviados iG a Londres | - Atualizada às

A vitória sobre o norte-coreano Jong Chol Park, nesta segunda-feira, foi válida apenas pela primeira rodada do boxe olímpico. Contudo, já foi suficiente para o brasileiro Julião Neto fazer um desabafo. Após o triunfo, ele revelou ter superado também uma grande pressão interna e uma série de dramas familiares.

O que você achou da estreia de Julião Neto em Londres? Comente!

Natural de Belém (PA), Julião Neto tem 30 anos. Ele foi medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no ano passado, e disputa as Olimpíadas pela primeira vez na carreira.

AP
Julião Neto (de azul) enfrenta Jong Chol Park pela categoria mosca no boxe olímpico



Leia mais: Julião Neto vence norte-coreano e avança às oitavas

“Nunca pensei que eu estaria aqui, disputando as Olimpíadas, com 30 anos. Isso pesou no começo. Fiquei travado no primeiro round, e só depois consegui me soltar”, relatou o brasileiro, que venceu por 12 a 8 na estreia.

Veja também: Brasil sofre mais uma eliminação no boxe masculino

No entanto, a pressão de estrear não foi o único obstáculo para Julião Neto nas Olimpíadas. O boxeador também precisou superar uma série de dramas familiares antes de chegar aos Jogos de Londres 2012.

E ainda: Árbitro do boxe olímpico é encontrado morto em Londres

Nascido em uma família de oito filhos, Julião Neto mal conviveu com o pai, que morreu quando ele ainda era muito novo. O avô trabalhava em um barco, mas também faleceu há muito tempo. "Dizem que ele morreu envenenado... veneno de rato, que era para matar os ratos do navio", explicou o boxeador.

Acompanhe muito mais sobre os Jogos no blog Espírito Olímpico

Os incidentes aumentaram muito a dificuldade da mãe de Julião Neto para criar os oito filhos. "Passei por muitas dificuldades. Eu era pobre, não tinha dinheiro e suei muito. Ela sofreu demais para me criar", contou o agora atleta olímpico.

Diante da falta de condições, Julião Neto ajudava a mãe para tentar amealhar dinheiro. ELes vendiam roupas e brinquedos, e começavam a trabalhar logo cedo para buscar condição de comprar comida para o almoço.

"A emoção de estar aqui é muito grande. Não consigo nem falar", completou Julião Neto depois da primeira vitória.

Leia tudo sobre: BoxeBrasilJulião NetoLondres 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG