Rafaela Silva é desclassificada e vai ao desespero no tatame

Brasileira se despede das Olimpíadas por ter atacado direto as pernas da húngara Hedvig Karakas, proibido nas regras recentes da Federação Internacional

Marcelo Laguna e Rodrigo Farah - enviados IG a Londres | - Atualizada às

Por causa de uma situação inusitada, Rafaela Silva foi eliminada dos Jogos Olímpicos de Londres por ter sido desclassificada. O juiz julgou que a brasileira atacou direto as pernas da húngara Hedvig Karakas, o que é proibido nas novas regras da IJF (Federação Internacional de judô), tirando a chance de a judoca nacional entrar na disputa por medalhas nas Olimpíadas. 

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O combate válido pelas oitavas-de-final iniciou com muito estudo, sem que nenhuma atleta arriscasse uma técnica. Faltando cerca de três minutos, Rafaela jogou a adversária no tatame, mas pegou as pernas da húngara para conseguir uma pontuação e foi desclassificada após análise dos árbitros. Depois da revisão dos jurados, que haviam marcado um wazari, a judoca se desesperou e ficou deitada no chão. Ela só se levantou depois de receber a ajuda de Hedvig.

Leia mais:  Em arbitragem contestável, Bruno Mendonça se despede dos Jogos

A tristeza se estendeu para o lado de fora do tatame, quando até a técnica Rosicléia Campos ficou inconsolável. Rafaela, por sua vez, chorou bastante e não se conformava com o resultado. Ela e Rosicléia saíram área de combate amparadas, uma na outra.

Veja ainda: Triste, judoca Rafaela Silva reconhece erro após desclassificação

A reação se explica também pela chave favorável que Rafaela tinha pela frente, com grande chance de chegar à final. A portuguesa Telma Monteiro, número 3 do mundo, saiu da disputa logo na estreia e abriu um lado da chave, justamente o da brasileira. Sem a europeia, Rafaela era favorita a alcançar a decisão contra a japonesa Kaori Matsumoto, número 1 do ranking olímpico.

Acesse o blog Espírito Olímpico

Vale lembrar que Rafaela foi a Londres credenciada por ter deixado de fora Ketleyn Quadros, medalha de bronze em Pequim, numa disputa interna. Ano passado, a estreante em Olimpíadas foi vice-campeã mundial e segunda colocada nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara após perder da cubana Yurileidys Lupetey, outra judoca que tinha saído do caminho da judoca brasileira na Inglaterra.

Confira ainda: Punição de juízes tira chance de medalhas do judô brasileiro

No último sábado, o judô brasileiro viveu o dia mais vitorioso da sua história. Sarah Menezes se tornou a primeira mulher a conquistar um ouro para as mulheres, enquanto Felipe Kitadai faturou o bronze. Já no domingo, a seleção não teve a mesma sorte com as eliminações de Leandro Cunha e Érika Miranda na primeira rodada.

Leia tudo sobre: judôRafaela SilvaBrasilLondres 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG