Maior da história, Phelps causa frenesi e admite: dessa vez teve uma ajudinha

Norte-americano conquista sua 19º medalha olímpica, supera recorde histórico da ginasta Larysa Latynina e agradece os companheiros pela marca. Em Londres, duas de suas três medalhas vieram em provas de revezamento

Marcelo Laguna - enviado iG a Londres | - Atualizada às

O Aquatics Centre, em Londres, viveu momentos de absoluto frenesi nesta terça-feira. Tão logo o americano Michael Phelps tocou na borda da piscina em primeiro lugar na prova do revezamento 4 x 200 m livre , nesta terça-feira, tornando-se o maior ganhador de medalhas da história dos Jogos Olímpicos , 19 no total, os jornalistas tomaram de assalto a área de entrevistas. Mais de cem repórteres de todas as nacionalidades se acotovelaram para escutar do próprio Phelps o que significava para ele tornar-se o maior de todos os atletas olímpicos.

Você considera Phelps o maior atleta olímpico de todos os tempos? Comente

"Fiz questão de abraçar todos os meus companheiros de equipe, pois sem eles teria sido impossível viver este grande momento", disse Phelps, modesto e cheio de razão.

AP
Michael Phelps, Conor Dwyer, Ricky Berens e Ryan Lochte: ouro no 4 x 200 m livre

Veja também: Phelps é prata nos 200 m borboleta e iguala recorde de medalhas

Ao contrário de Pequim 2008, quando assombrou o mundo ao se tornar o maior ganhador de medalhas individuais numa mesma edição dos Jogos, desta vez o triunfo de Michael Phelps aconteceu durante um ciclo olímpico conturbado. Ele demorou para encontrar sua melhor forma, descobriu em Ryan Lochte um rival à altura dentro da equipe americana e começou sua campanha olímpica fracassando em uma prova que não perdia há anos (os 400 m medley).

Leia também: Com primeiro ouro em Londres, Phelps quebra recorde de medalhas

Como disse o próprio nadador, seria impossível chegar às 19 medalhas sem a equipe norte-americana. Com exceção da prata nos 200 m borboleta, Phelps falhou nas disputas individuais. Foi socorrido pela equipe norte-americana, que o ajudou a conquistar a prata no revezamento 4 x 100 m, vencido pela França, e deu-lhe de bandeja o ouro no 4 x 200 m livre. "Se eles não tivessem me entregado a prova com uma liderança tão folgada, quem sabe o que iria acontecer no final desta prova...", admitiu Phelps.


Nos braços do povo
Pessoalmente, o momento que mais marcou Phelps na prova foi ver a mãe comemorando o feito histórico com outros torcedores na arquibancada. "Ver minha mãe sendo abraçada por várias pessoas no meio daquela multidão foi algo muito especial", disse o novo recordista de medalhas na história dos Jogos Olímpicos, superando a ginasta soviética Larissa Latynina, que entre os Jogos de Meubourne 1956 e Tóquio 1964 conquistou um total de 18 medalhas.

Blog do Rogério Romero: Do inferno ao céu e a maldição do tri

Números impressionantes
A importância da conquista histórica de Michael Phelps também pode ser traduzida em números. Na história da natação olímpica, somente cinco países possuem um número maior de medalhas de ouro (15) do que ele: EUA, Austrália, Hungria, Japão e Holanda. Além disso, Phelps individualmente possuí mais medalhas douradas do que 170 dos 204 comitê solímpicos nacionais reconhecidos pelo COI (Comitê Olímpico Internacional).

Leia tudo sobre: NataçãoEUAMichael PhelpsLarissa LatyninaLondres 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG