Brasil tenta igualar feito da ex-URSS com ouro no vôlei masculino e no feminino

Seleção feminina encara os Estados Unidos na final neste sábado e os homens pegam a Rússia na decisão no domingo

iG São Paulo - com Gazeta Esportiva | - Atualizada às

Reuters
Brasil arrasou a Itália na semifinal do masculino

O Brasil tenta, neste final de semana, um feito inédito para o país. Tanto a seleção feminina quanto a equipe masculina de vôlei do país disputam as finais olímpicas pela segunda vez consecutiva e ambas tentam alcançar a hegemonia completa no esporte. 

Até hoje, só quem conseguiu a marca foi a antiga União Soviética. O país foi duas vezes campeão com homens e mulheres. Em Pequim 2008, o Brasil também havia chegado às duas decisões, mas venceu apenas com o time feminino. 

Brasil vai trazer o ouro no masculino e no feminino? Deixe seu recado

Em Londres, a primeira final será realizada neste sábado. A equipe do técnico José Roberto Guimarães, depois sair de uma primeira fase ruim, apenas com a última vaga do grupo, e ter passado pelo mata-mata com vitórias sobre Rússia e Japão, tenta combater o favorito Estados Unidos na briga pelo ouro, em partida às 14h30 (horário de Brasília).

"Nós evoluímos muito como grupo desde a fase de classificação", exalta a ponteiro Fernanda Garay, esbanjando confiança.

Leia mais: Seleção busca bi e Zé Roberto tenta ser 1º tricampeão olímpico do Brasil

No domingo, será a vez dos comandados de Bernardinho tentarem o terceiro título olímpico, diante da Rússia, às 9h. "Não podemos iludir e falar que uma final olímpica será simples", alerta o central Lucão ao lembrar que a equipe masculina já fez um 3 a 0 sobre a Rússia na primeira fase.

Veja também: Brasil atropela Itália e vai à terceira decisão consecutiva no vôlei masculino

Na história dos Jogos, apenas os soviéticos conseguiram reunir os dois títulos olímpicos pela primeira vez com direito a uma outra curiosidade. Em 1968, a segunda colocação tanto dos homens como das mulheres ficou com o Japão, em um torneio por pontos corridos.

Blog Mundo do Vôlei acompanha tudo o que acontece nas quadras em Londres

A ex-União Soviética repetiu a dobradinha em 1980, em um período em que a forma de disputa já apresentava uma fase de grupos e, posteriormente, confrontos de mata-mata. A decisão no masculino diante da Bulgária teve o placar de 3 sets a 1. No feminino, o rival da partida decisiva, desta vez, foi diferente. A Alemanha Oriental ameaçou complicar, porém também acabou derrotada por 3 sets a 1.

Getty Images
Seleção feminina, depois de crescer na fase final, busca o bi olímpico neste sábado

A presença de um mesmo país nas finais dos homens e das mulheres do vôlei de quadra é uma situação comum em Jogos Olímpicos. A própria ex-União Soviética repetiu a dobradinha em mais duas oportunidades. Em 1976, perdeu as duas finais. Já em 1988, ganhou no masculino e foi derrotado no feminino. Em 1984, os Estados Unidos aproveitou a vantagem de jogar em casa, mas só ganhou uma das finais. Entre os homens, bateu o Brasil. Com as mulheres, perdeu para a China. Em 2000, a Rússia foi derrotada na partida decisiva das duas chaves.

Por fim, na Olimpíada de Pequim, Brasil e Estados Unidos decidiram os dois torneios do vôlei de quadra, em dois jogos contra os Estados Unidos. No masculino, vantagem dos norte-americanos. No feminino, triunfo e título inédito para as brasileiras.

Vice em número de medalhas

Com as duas medalhas garantidas com as finais em Londres, o Brasil empata com o Japão na lista entre aqueles que mais subiram ao pódio. Quem lidera é a antiga União Soviétiva, que conquistou 12 medalhas (sete de ouro, quatro de prata e uma de bronze).

Agora, Brasil e Japão somam nove pódios. Os brasileiros, além das medalhas que vai levar pelas finais de 2012, já tinha três ouros, duas pratas e dois bronzes. Já o Japão ficou com o bronze no vôlei feminino e agora tem três medalhas de cada cor. 

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG